FIES/Crédito: Uni-PE
FIES/Crédito: Uni-PE

Mudança De Regras De Renegociação De Dívidas do FIES

O presidente Jair Bolsonaro (PL) sancionou, com um veto, a lei que permite a renegociação de dívidas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). A decisão foi publicada na edição desta quarta-feira (22) do “Diário Oficial da União (DOU)”.

A medida provisória (MP) que autoriza a renegociação foi editada pelo governo federal em dezembro de 2021. Para tornar-se definitiva, ela precisou passar por votação no Congresso. Ela havia sido aprovada em maio, pelo Senado.

Advertisements

O que é o Fies?

O Fies é um programa pelo qual o governo federal mensalidades de estudantes de graduação em instituições privadas de ensino superior. Isso ocorre enquanto essas pessoas beneficiadas pelo fundo cursam a faculdade. Trata-se de um fundo de financiamento.

Por isso, quando terminar o curso de graduação, os valores precisam ser pagos de volta ao governo. Diante de uma série de fatores, como aumento do desemprego entre pessoas com curso superior e crise econômica, o endividamento de antigos(as) beneficiários(as) do Fies sempre foi grande, e aumentou nos últimos anos.

Advertisements

MP motivada pela inadimplência

O governo explicou ao editar a MP em 2021 que 2,4 milhões de contratos do Fies foram realizados até 2017. Eles já acumulavam saldo devedor na ordem R$ 106,9 bilhões. Isso significava mais de 1 milhão de alunos e alunas inadimplentes.

Assim, a MP foi criada para beneficiar estudantes com mais de 90 dias de atraso no pagamento das parcelas. Ela valia para financiamentos contratados até o segundo semestre de 2017. Dívidas acumuladas após esse período não entram neste programa de renegociação.

Advertisements
Fies: Congresso estuda isenção a inadimplentes
Crédito: ABMES

Regras

Desde o dia 7 de março, estudantes que estavam inadimplentes com o Fies foram autorizados(as) a renegociar suas dívidas com Banco do Brasil ou Caixa. Segundo as regras aprovadas pelo Congresso, os descontos podem chegar a 99% do valor total da dívida.

O desconto de 99% pode acontecer com estudantes que:

  • Tenham inscrição ativa no CadÚnico;
  • Receberam o Auxílio Emergencial.

Para o público geral, o limite máximo de redução é de 77%. A dívida deve ser quitada dentro de 12 anos e seis meses.

O Ministério da Educação (MEC) informou que a renegociação irá até 31 de agosto de 2022.

Situações que podem ocorrer a renegociação

Estudante com atraso superior a 360 dias:

  • Com inscrição no CadÚnico ou que receberam auxílio emergencial em 2021: desconto de até 99% no valor consolidado da dívida. Desconto válido para o pagamento integral do saldo devedor. Pode ser pago à vista ou em até 10 parcelas corrigidas pela taxa Selic.
  • Demais financiados (público em geral): desconto de até 77% no valor consolidado da dívida para o pagamento integral do saldo devedor.

Estudantes com atraso superior a 90 dias e menor que 360 dias:

  • À vista: desconto da totalidade dos encargos e 12% do valor principal;
  • Parcelado: pagamento em até 150 parcelas mensais e sucessivas, com redução de 100% de juros e multas.

Em todas as situações, é possível fazer simulações da renegociação com o banco com o qual possui o contrato do Fies.

Advertisements
Programas Sociais BR

Leia Estes ...

Cursos Disponíveis Senai

Senai-PB Abre Inscrições Para 10 Cursos 100% Gratuitos

O Senai da Paraíba (Senai-PB) está com inscrições abertas para cursos gratuitos. Serão capacitações nas …

AEPW/ Créditos: reprodução

AEPW vai criar 60 centros de reciclagem no Brasil

A Alliance To End Plastic Waste (AEPW) acaba de anunciar o seu primeiro projeto no …

Auxílio Brasil tem fila de 2,78 milhões de famílias

Um levantamento feito pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) aponta um dado preocupante sobre o …