ConecteSUS não vem emitindo certificado para quem tomou 2ª dose diferente da 1ª

Conecte SUS Vacinação e HospitalizaçãoPessoas que receberam a imunização heteróloga, ou seja, a segunda dose de marca diferente da primeira, relatam dificuldades para emissão do certificado de vacinação. Ainda que o protocolo do Ministério da Saúde preveja essa mistura de imunizantes, o mesmo ministério admite não fornecer o certificado para quem tomou doses de marcas distintas.

Atualmente, 249 municípios criaram regras que exigem esse documento para entrar em lugares públicos. Além disso, o documento que comprove a imunização também é exigido para viagens para o exterior. Para ambos, pede-se o certificado emitido pelo ConecteSUS.

Advertisements

Falta explicações do Ministério da Saúde

Em nota, o Ministério da Sapude informou que o certificado do ConecteSUS é dado para quem concluiu o esquema vacinal com duas doses ou dose única. Porém, completou que “para quem concluiu o esquema vacinal com doses de vacinas diferentes (intercambialidade das vacinas COVID-19) não é permitido a emissão do certificado de vacinação” pelo aplicativo.

Contudo, o Ministério da Saúde não deu qualquer explicação a respeito de não oferecer o certificado a quem fez a imunização heteróloga. O protocolo vem sendo adotado em vários estados e cidades do Brasil, assim como noutros países.

Advertisements

Diante da falta de algumas vacinas como a da AstraZeneca, muitas cidades aplicavam como segunda dose imunizantes da Pfizer. Essa combinação tem sido adotada em várias regiões do país. As informações foram divulgadas em matéria de 04/10/2021 de Ítalo Lo Re, em O Estado de S.Paulo.

Imunização heteróloga é adotada em vários lugares do mundo

Em setembro desse ano, o governo de São Paulo começou a adotar a imunização heteróloga diante da falta de vacinas AstraZenaca. Assim sendo, pessoas que tomaram a primeira dose dessa marca, tomaram a segunda da marca Pfizer.

Advertisements

Também em São Paulo, adotou-se outra estratégia heteróloga. Nela, idosos e imunossuprimidos tomam terceiras doses de outro fabricante, que pode não ser o mesmo do qual tomaram as duas primeiras.

A Inglaterra foi pioneira em adotar o sistema heterólogo. Dessa maneira, o sistema de saúde inglês adotou estratégia com AstraZeneca e Pfizer. Em alguns casos, a combinação mostrou eficácia maior do que o esquema único (homólogo). Existem diversos estudos que mostram que existe eficácia nessa estratégia.

Segurança do método

À Rede Brasil Atual, biomédica pesquisadora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) Mellanie Fontes-Dutra confirma a segurança da utilização de imunizantes diferentes. Ela cita uma boa variedade de estudos conduzidos em diferentes lugares do mundo. “Existe uma escassez de doses da AstraZeneca para a segunda dose de algumas pessoas, e tem-se recomendado a Pfizer, numa combinação AstraZeneca na primeira dose e Pfizer na segunda dose. É seguro? Gera resposta? Sim e sim”, disse.

Advertisements
Programas Sociais BR

Leia Estes ...

Passaporte Vacina esaudesp Para Entrar Em Estabelecimentos

SP Passaporte De Vacina Para Entrar Em Estabelecimentos

Em São Paulo Capital, será obrigatório tomar vacina contra a covid-19 para entrar nos estabelecimentos …

Fim da Pandemia a Previsão

Fiocruz Projeta Possível Fim Da Pandemia No Início De 2022

Na primeira semana de outubro de 2021, o Brasil deverá alcançar a terrível marca de …

Comprovante de Vacinação

Boletim Da Fiocruz Recomenda Passaporte Da Vacina Em Todo o Brasil

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulgou, na última nesta sexta-feira (1º/10), um novo  Boletim do …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *